Bullying

Notíciasmaio, 14 - 2018

Bullying

Bullying: Saiba como identificar se seu filho está passando por isso

Problema crônico nas escolas, o Bullying possui consequências sérias para as vítimas e, acredite, também para os agressores.

Não é difícil encontrar quem diga “é só uma briguinha de criança” ou “é só um fato isolado”. O problema é que nem sempre é simples resolver e as consequências podem ser bem difíceis.

Os pais e as escolas, que possuem papel decisivo nestes casos, nem sempre entendem a seriedade do assunto e, por vezes, não tomam nenhuma atitude.

De acordo com o Ministério da Saúde e IBGE, o bullying vem aumentado nas últimas décadas, passando de 5% para 7%. A prática é maior entre os meninos, mas o número de meninas tem crescido de forma rápida.

No geral, crianças e jovens praticantes do bullying buscam popularidade e poder para encobrir suas próprias inseguranças. Geralmente convivem em ambientes marcados por punição física, autoritarismo ou até mesmo comportamentos agressivos ou explosivos. Em geral, as crianças são espelhos de sua criação e do ambiente em que vivem.

Já as crianças que sofrem bullying, geralmente possuem dificuldade de interação social e baixa autoestima. Entre os gatilhos que levam a essa prática estão a aparência do corpo, do rosto, desempenho acima da média, cor, orientação sexual, religião ou cidade natal.

Vale lembrar que crianças e adolescentes que sofrem bullying possuem três vezes mais possibilidades de pensar em suicídio, além de diversos outros problemas emocionais e de saúde na fase adulta.

Fique atento aos sinais

Muitas vezes os pais não sabem o que se passa na vida dos filhos e não percebem alguns sinais que podem indicar que eles estão sofrendo bullying:

  • Isolamento
  • Exclusão Social
  • Ataques de fúria e impulsividade
  • Sentimento de incapacidade
  • Agitação e agressividade atípica
  • Medo ou pânico de ir para a escola
  • Queda nas notas escolares
  • Choro aparentemente sem motivo
  • Feridas pelo corpo que a criança diz que não sabe como apareceu
  • Roupas rasgadas ou sujas na volta da escola
  • Sumiço de pertences
  • Dores de cabeça e barriga várias vezes ao dia

Aos primeiros sinais de que o filho está passando por essa situação, vale conversar sobre o assunto e informar imediatamente a escola. O responsável deve orientar a criança a não reagir e nem revidar, além de ajudar a desenvolver a sua autoconfiança.

Por Carolina Pain