personagem
Como a alimentação pode influenciar na amamentação

Notíciasjul, 31 - 2020

Como a alimentação pode influenciar na amamentação

 

O artigo de hoje é dedicado, especialmente, para as mamães de plantão! Todos sabemos que sempre aparecem conselhos e mais conselhos do que fazer ou não fazer durante os primeiros anos da criança, e a amamentação é um exemplo disso. Mas a verdade é que existem muitas suposições e, hoje, nós vamos acabar com algumas delas. Vamos nessa? 

 

Médicos e nutricionistas afirmam que não existem pesquisas o suficiente para a comprovação da coligação entre a alimentação da mãe com o leite ingerido pelo bebê, assim como os efeitos dele no corpo dos pequenos. Porém, existem hábitos simples que podem ser evitados e, também, outros que podem ser adotados.

 

O que fazer? 

Alimentação equilibrada 

O corpo da mulher em fase de amamentação costuma consumir cerca de 500 calorias a mais por dia, já que, é uma atividade que exige bastante do organismo. Sendo assim, é normal que o apetite aumente. 

 

Por isso, especialistas indicam a adoção de uma alimentação saudável, equilibrada, rica em proteínas e carboidratos advindos de alimentos naturais. Ou seja, evitando processados e industrializados sempre que possível. A partir daí, além de estimular a produção de leite, será garantido o bem-estar da mulher, aumentando sua saúde e disposição. 

 

Ah, e antes que passe batido: uma das sugestões populares mais famosa é a “canjiquinha quente”. A verdade é que a canjica, feita a base de milho, possui alto teor calórico e pode, então, ir de encontro a necessidade do organismo da mãe. 

 

Mantenha-se hidratada 

Não é segredo para ninguém que nosso corpo é composto, em sua maioria, por água. Dessa forma, seu consumo regular (cerca de 1,5 litros por dia) é fundamental na vida de todas as pessoas e não seria diferente no período de amamentação. Assim como a boa dieta, a hidratação age como estimulante na produção láctea. 

 

Portanto: transforme a garrafinha de água em sua melhor amiga, viu?

 

O que não fazer? 

Agora, partimos para alguns hábitos que podem influenciar negativamente na saúde da mãe e do seu bebê. 

 

Dentre eles, destacamos o consumo excessivo de refrigerantes e cafés. Essas bebidas possuem taxas de cafeína que, se consumida em excesso, pode influenciar no sono e bem-estar da mãe e dos pequenos. Ainda na lista de bebidas que merecem alerta, as bebidas alcoólicas também garantem sua posição! Segundo Loretta Campos, pediatra consultora em Aleitamento Materno pelo IBCLC (International Board Certified Lactation Consultant), devem ser consumidas de maneira controlada, com intervalos de 3 a 4 horas até a próxima amamentação. 

 

Além disso, não tenha pressa para voltar ao corpo da pré gestação. A prática de dietas radicais influenciam diretamente nos níveis de carboidratos e  energia e podem acarretar em estresse. 

 

Gostaram das dicas? 

 

Por Carolina Oquendo