personagem
Conheça o trabalho feito pela Cia. Ballet de Cegos e se encante

Notíciasset, 28 - 2018

Conheça o trabalho feito pela Cia. Ballet de Cegos e se encante

Já ouviu falar na Cia. Ballet de Cegos? Ela é a primeira companhia profissional do mundo que ensina a técnica do Ballet Clássico a deficientes visuais.

Idealizado pela bailarina e fisioterapeuta Fernanda Bianchini Saad há 23 anos, o projeto começou com 10 alunas e já atendeu mais de 700 pessoas ao longo de sua história.

A Cia. Ballet de Cegos fica no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, e, além do Ballet Clássico, também conta com cursos gratuitos de sapateado, dança de salão, expressão corporal, dança do ventre, danças inclusivas, pilates, dança contemporânea, coral e teatro para deficientes de todos os tipos.

“Acredito na transformação que a arte pode exercer nas pessoas, por isso deixo claro que elas são protagonistas dessa história. Aqui damos a oportunidade de desenvolverem seus talentos. Além do ganho da autoconfiança, o método ajuda na melhoria postural, sensorial, espacial e ganhos à autoestima, dissolvendo preconceitos”, explica Fernanda.

O projeto é mantido a partir de doações e atualmente conta com 380 alunos que estudam gratuitamente.

A Seven Boys é uma das parceiras do projeto. A marca tem entre seus pilares institucionais o incentivo a causas sociais em prol da cultura, arte e inclusão.

“Nosso objetivo é ampliar cada vez mais as ações voltadas às iniciativas sociais, já que isso está totalmente alinhado ao posicionamento institucional.

Somos reconhecidos como a marca que resgata momentos marcantes na vida das pessoas e também queremos proporcionar novas oportunidades para que elas possam construir suas histórias da melhor forma”, reforça Pedro Wickbold, gerente executivo do Grupo Wickbold, ao qual pertence a Seven Boys.

Adote uma bailarina

Toda a ajuda é importante para que este projeto cresça cada vez mais e possa trazer um novo sentido para tantas crianças, adolescentes e adultos.

Dentro da associação, existe o projeto “Adote uma Bailarina”. Pelo valor de R$150 por mês, qualquer pessoa pode adotar uma bailarina. O valor é revertido em figurino para as apresentações, transporte e também alimentação.